Pet em Viagens

Confira algumas dicas para evitar surpresas desagradáveis

 

Por Marisa De Lucia

 

Vai viajar e quer levar seu pet? Veja abaixo algumas recomendações fundamentais.

Se for viajar de carro e quer levar seu cão ou gato, é importante seguir algumas recomendações para evitar surpresas desagradáveis durante a viagem.

 

pet-viajens

 

Para que a viagem seja proveitosa para ambas as partes, é necessário levar em consideração vários aspectos. Isto porque, além da mudança de ambiente já ser um fator de estresse para o “amiguinho”, as viagens muito longas também são bastante estressantes para ele, podendo ocorrer diarreia e/ou inapetência.

Viajar com cães ou gatos de carro no Verão também causa preocupação, pois eles não suam e, assim, sua temperatura corpórea irá se elevar muito em ambientes fechados. Por isso, se for levar o pet, programe viajar em horários mais frescos e ofereça água para ele várias vezes durante o decorrer da viagem.

Se a viagem for de ônibus, lembre-se que nem todas as empresas aceitam levar animais. Já se a viagem for feita de avião, o fator estresse diminui, mas é necessário saber com antecedência suas regras como o número de animais permitidos em cada voo, os tipos e dimensões das caixas de transporte e a necessidade de sedação.

Se seu animalzinho já é idoso e sua saúde requer cuidados, evite viajar com ele. O mesmo acontece com os “amiguinhos” quem têm menos de 4 meses e ainda não completaram a vacinação, pois eles não devem ficar expostos a outros animais.

Caso decida levar o pet, de ônibus ou avião, confira com bastante antecedência quais os documentos necessários. Normalmente, para embarcar em viagens nacionais ou internacionais, você precisa de atestado de saúde fornecido pelo veterinário, expedido, no máximo, 3 dias antes da viagem, e certificado de vacinação antirrábica, feita 30 dias ou mais antes da viagem.

Para viagens fora do País, também é necessário informar-se no Consulado do país de destino quais as exigências para a entrada do animal, pois alguns países aceitam apenas o atestado do Ministério da Agricultura ou exigem um visto consular para a entrada do animal.

E lembre-se de se informar com antecedência, pois, alguns países exigem que o animal cumpra um período de quarentena no aeroporto. Outros solicitam um exame sorológico para confirmação da vacinação antirrábica, que deve ser feito com bastante antecedência, ou seja, 3 meses antes da viagem.

Há restrições também quanto ao número de animais que estão imigrando em alguns países. Portanto, procure se informar de todos esses detalhes bem antes, para evitar surpresas no desembarque.

Na maioria das companhias aéreas, o animal viaja dentro de uma caixa de transporte no compartimento de carga. Algumas companhias permitem que os animais de raças pequenas e gatos viajem com os donos, mas há restrições quanto ao número de animais por voo.

No carro, o “amiguinho” deve viajar sempre no banco de trás e com a cabeça dentro do veículo, de preferência com a guia presa ao cinto de segurança. Se o cão estiver na janela do carro ou sozinho no banco da frente o motorista pode ser multado.

Desde que a temperatura não esteja elevada, até dá para deixá-lo dentro da caixa de transporte. No caso de gatos, o uso da caixa é indicado para diminuir o estresse do animal. Já na caçamba de veículos utilitários como caminhonetes e pick-ups, os pets não podem ser transportados soltos. Para isso, existem cintos de segurança para cães em lojas especializadas.

E lembre-se: alimente o pet duas horas antes da viagem, pois muitos costumam vomitar com o movimento do carro. Nesse caso, consulte o veterinário antes da viagem quanto a medicar o cão para evitar vômitos.

Finalmente, leve bastante água e faça várias paradas para eles fazerem suas necessidades e não se estressarem tanto.

Tudo pronto? Então, boa viagem!



Deixe um comentário

You must be Logado Postar comentário.